Apresentação

Organismos internacionais como a ONU e Unesco[1] declararam o decênio 2005-2015 como aquele a ser dedicado à educação para o desenvolvimento sustentável com o fim de “integrar os princípios, os valores e as práticas do desenvolvimento sustentável em todos os aspectos da educação e da aprendizagem, com o fim de  enfrentar os problemas sociais, econômicos, culturais e ambientais do século21”.

Destaca-se sem dúvida, para o cumprimento de tal objetivo, a importância e o papel da educação, em todos os níveis, nesse processo. Colocar a sustentabilidade como um suporte na pesquisa, na formação e nos procedimentos administrativos interno das universidades significa ampliar os horizontes de objetivos da instituição e incluir nas suas ações cotidianas as boas práticas sustentáveis.

Passar de uma cultura consumista a uma sustentável, adotando políticas eco-compatíveis, é atualmente uma necessidade e um desafio global. Constituirá também uma oportunidade sem precedentes para desenvolver de forma extraordinária a criatividade e a inventividade de novos processos, sejam eles culturais, sociais, científicos ou tecnológicos.

É evidente que a logística está se tornando um conjunto cada vez mais complexo do sistema econômico nas suas diversas caracterizações. No entanto, associar os princípios de sustentabilidade a ela amplia o seu conceito para além da simples necessidade de desenvolvimento econômico e se estende em direção à problemática da segurança ambiental e da diminuição da desigualdade social.

Para promover a transição da fase de retórica para a de adoção de ações de boas práticas sustentáveis, concentraram-se esforços em conceber um instrumento de gestão, norteado tanto pelos princípios da sustentabilidade quanto com os da lisura e transparência, que constitua uma política institucional permanente.

Por fim, é de entendimento da Comissão que os vazios identificados durante o processo deverão ser trabalhados futuramente de forma democrática e participativa, e que as proposições aqui apresentadas são os primeiros passos para o alcance de um objetivo maior: a UFSC como um referencial de sustentabilidade.

A COMISSÃO – CGPLS/2013

[1]  “United Nations Decade of Education for Sustainable Development” e “UNESCO and Sustainable Development.